Super vista

Há cerca de dois meses mudei-me para Frankfurt. Quando estava a visitar o apartamento onde moro agora, o tipo da imobiliária exaltou a vista e disse que “até dá para ver a famosa Frankfurter Skyline!”.

Ena, e não é que dá mesmo? Se um tipo olhar com atenção, dá para ver os últimos metros da torre do Commerzbank, aquele que foi o maior prédio da Europa até 2005, e ainda hoje é o maior da União Europeia!

Para ressalvar a importância que isto tem, e para fazer juz ao nome deste blog, decidi fazer alguns cálculos:

De acordo com a Wiki, o prédio mede 259 metros e o Google Earth diz-me que a distância entre o meu prédio e a torre é de 3463 metros:

A um metro da minha câmara a altura da torre visível é de cerca de 3cm:

Assim, uma conta simples diz-nos quantos metros de torre são visíveis a partir da minha janela:

Em que temos: hv = hm * d

Ou seja: hv = 0,03 * 3463 <=> hv = 104m

Isto, claro, ignorando o facto de o triângulo formado pelas linhas não ser exactamente rectângulo, e que, tecnicamente, não se aplica a fórmula que usei, mas dadas as margens de erro penso que o resultado estará próximo o suficiente.

Isto tudo significa que da minha casa tenho vista para uns magníficos (hv / ht * 100 = ) 40% do topo da famosa Frankfurter Skyline, e isso deixa-me feliz!

40% feliz!

Coisas que detesto ao volante

A Mariana volta à carga com um novo desafio: Coisas que detesto ao volante.

Este é especialmente fixe para mim porque conduzo todos os dias e tenho montes de ódio para partilhar.

Aqui está a minha lista:

  1. Taxistas
  2. Malta de boné
  3. Taxistas
  4. Condutores a fumar
  5. Taxistas
  6. Malta que deita lixo pela janela (especialmente beatas)
  7. Taxistas
  8. Malta que anda na faixa errada para cortar a fila lá à frente
  9. Taxistas
  10. Malta que não usa os piscas
  11. Taxistas
  12. Malta que usa os piscas da esquerda nas rotundas e os desliga quando querem sair delas (pessoal: é ao contrário!)
  13. Taxistas
  14. E finalmente, taxistas

Não é que tenha alguma coisa contra os taxistas, simplesmente odeio-os (na estrada, entenda-se).